sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Pierre Duhem, metafísica e ciência



O físico, filósofo e historiador da ciência francês Pierre Duhem afirmava que toda explicação implica em asserções acerca da constituição última do fenômerno a ser explicado.

Por exemplo, as explicações dos newtonianos, dos cartesianos e dos aristotélicos acerca do movimento são diferentes devido às idéias de cada escola sobre a constituição última desse fenômeno.

Para um newtoniano o movimento pode ser resultado da ação à distância da força atrativa que um corpo de massa maior exerce sobre um de massa menor. Para um cartesiano isso seria absurdo, pois o movimento só se dá pelo choque.

Um aristotélico concebe o movimento como um processo qualitativo, atualização de uma potência em uma ordem cósmica tendente ao extático e não somente como um deslocamento quantitativo num espaço geometricamente idealizado.

As diferenças aqui são metafísicas. E se essas diferenças são importantes, então a física se subordinará à metafísica. Segundo Duhem, "se a física teórica é subordinada à metafísica, as divisões separando os diversos sistemas metafísicos vão se estender ao domínio da física. Uma teoria física aceita como satisfatória pelos seguidfores de uma escola metafísica vai ser rejeitada pelos partidários de outra."

Duhem sugere, como solução, uma prática científica que, tanto quanto possível, seja isenta de pressupostos metafísicos que gerem conflitos entre os praticantes de certo campo de pesquisa. A idéia central seria a adoção consensual entre os participantes da pesquisa de uma teoria física que seja a representação matemática das constantes físicas observáveis.

Não se trata de uma teoria que afirme a natureza dos objetos físicos , mas sim de uma que descreva as relações entre essas grandezas em linguagem matemática e de acordo com a experiência. O critério de verdade dessa teoria não será mais a natureza do objeto físico, mas a conformação entre as hipóteses que a compõem e o experimento.

2 comentários:

Antonio Afonso Ribeiro disse...

Professor Rogério, em que texto se encontra essa citação do Duhem?
Agradeço desde já

Att
A.A

Rogério da Costa disse...

Olá!

Está no início de "A teoria Física".

Abraços!